Pesquisa sobre Zika Vírus desenvolvida por mestranda da Univasf foi premiada no IV Congresso Internacional Health Dialogue Culture

Por RemansoNet 01/10/2017 - 22:43 hs

Durante o IV Congresso Internacional Health Dialogue Culture, realizado em São Paulo (SP) entre 7 e 10 de setembro deste ano, Andréa Kedima Diniz Cavalcanti, estudante da Pós-Graduação Ciências da Saúde e Biológicas (PPGCSB) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), apresentou cinco trabalhos em formato de pôster. Além dela, pessoas de 14 países diferentes apresentaram outros 46 trabalhos na mesma modalidade – uma concorrência alta para a premiação que seria entregue no penúltimo dia do evento. Ainda assim, no momento do anúncio das melhores apresentações, Andréa foi escolhida como a autora do melhor pôster. O título do trabalho premiado é “Aspectos epidemiológicos do zika vírus no Brasil”, realizado no mestrado sob a orientação da professora do PPGCSB Lucia Marisy.

A pesquisa também teve a participação da professora do PPGCSB Márcia Bento Moreira, do professor do Colegiado de Medicina do Campus Paulo Afonso (BA) Pedro Pereira Tenório e da graduanda de Medicina Iara Ferreira Lima. Estes dois últimos integram o Núcleo de Estudos Aplicados em Ciências Patológicas (Neacip) da Univasf, também localizado em Paulo Afonso, onde a pesquisa foi desenvolvida.

De acordo com Andréa Kedima, o trabalho consistiu em um levantamento das regiões mais afetadas pelo zika vírus; ou seja, quais tiveram o maior número de gestantes acometidas pela doença e de crianças nascidas com casos suspeitos e confirmados de microcefalia. A pesquisa concluiu que, desde o ano passado, o crescimento no número de ocorrências das doenças causadas pelo vírus foi muito grande, principalmente na região Nordeste, e buscou avaliar quais as possíveis consequências desse crescimento para a saúde pública.

Para Andréa, a pesquisa é atual e relevante, devido aos impactos da zika na vida da população. “A doença surgiu com força no ano passado e trouxe problemas que vão se perpetuar. Não é algo que vai se esgotar agora, toda uma população ainda vai ser afetada”, afirma a mestranda. Ela também conta que ficou muito feliz pela premiação de seu trabalho, especialmente por ter sido a única pessoa de Paulo Afonso a participar do congresso, além de se sentir grata às pessoas que integraram a pesquisa.

Andréa Kedima é natural de Vertentes (PE) e é formada em Enfermagem pelo Centro Universitário Tabosa de Almeida ASCES – UNITA, localizado em Caruaru (PE). Mudou-se para Paulo Afonso há um ano e ingressou no PPGCSB no início de 2017. Pouco tempo depois, passou a integrar o Neacip, onde tem desenvolvido as pesquisas do Mestrado.

A professora Lucia Marisy acredita que a escolha do trabalho de Andréa como o melhor pôster apresentado no congresso foi motivada pelo caráter inovador da pesquisa. “Ela trata de questões ligadas à saúde através de metodologias ativas, sempre buscando o envolvimento popular, conhecendo como a população vive e trabalha. É, na verdade, um trabalho educativo”, comenta Lucia.

O IV Congresso Internacional Health Dialogue Culture foi promovido pela Rede Internacional HDC – Health Dialogue Culture (Saúde Diálogo Cultura) e envolveu profissionais da área da saúde de várias disciplinas e de diferentes origens e culturas. Com a temática “Promovendo a Saúde Global: estratégias e ações a nível individual e coletivo”, o evento buscou abordar a saúde por uma perspectiva humanística, trabalhando temas como a espiritualidade e a empatia.

Além do trabalho premiado, os demais pôsteres apresentados por Andréa no congresso foram: “O uso de metodologias ativas de ensino-aprendizagem na graduação em Medicina no Brasil”; “Os principais testes neuropsicométricos para diagnóstico de demências e/ou déficits de memória em idosos”; “O uso terapêutico do canabidiol: aspectos jurídico-normativos e acessibilidade na saúde pública” e “Fundamentação metodológica de planos educativos em atenção básica à saúde”.

Ascom Univasf Foto Arquivo pessoal