Resgatada pelo Cemafauna no norte da BA, arara-azul-de-lear é encaminhada a criadouro científico

Por RemansoNet 20/10/2017 - 09:04 hs
Foto: Adriana Alves/divulgação

Uma equipe do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna-Caatinga) resgatou uma arara-azul-de-lear de uma área na cidade de Euclides da Cunha, no norte da Bahia. A ave foi avistada numa área aberta sem conseguir voar e a solicitação para recolhimento foi feita pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Após ser resgatada, a espécie foi levada até o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do Cemafauna, em Petrolina, onde passou por exames clínicos. A equipe observou um aumento de volume da articulação na asa direita, no entanto, sem ferimentos. No último dia 10, a arara foi encaminhada ao criadouro científico Fazenda Cachoeira (uma instituição indicada pelo Cemave), responsável pela conservação de espécies de aves ameaçadas de extinção, com o objetivo de reintroduzi-las à natureza.

Endêmica da caatinga baiana, a Arara-azul-de-lear é uma espécie que se encontra ameaçada de extinção devido a forte pressão de caça, intenso tráfico e também pela destruição de seu habitat natural devido a ações antrópicas. Diante disso, o ICMBio elaborou o Plano de Ação Nacional para a Conservação da Arara-Azul-de-Lear: Anodorhynchus leari, numa tentativa de reverter esse cenário. Tal medida prevê ações de educação ambiental, conservação e pesquisa.

Monitoramento

Desde 2001 o Cemave realiza o monitoramento populacional dessa espécie, contando com a parceria de diversas instituições e pessoas – entre elas o Cemafauna, que a contar de 2013 atua no resgate e encaminhamento de araras-azuis-de-lear ao criadouro científico, contribuindo assim para o retorno dessas aves ao seu habitat. 

Blog Carlos Brito